Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mundo Interessante

Mundo Interessante

Império Francês

Napoleão Bonaparte

O general Napoleão Bonaparte através de um golpe de Estado acabou com o Diretório e instaurou o Consulado (1799-1804). O novo regime praticava um despotismo iluminista. Foi por isso que Bonaparte pretendeu ratificar o seu poder através de um plebiscito. A nova Constituição estabelecia uma política ineficaz, que não representava ninguêm e que foi rapidamente esquecida. Napoleão prometeu e obteve a paz com os austríacos e com os ingleses. Internamente, desenvolveu um forte sistema de controlo. A polícia, sob o comando de Fouché, foi muito eficaz na luta contra os realistas e os velhos jacobinos. O outro sucesso do Consulado foi o acordo com o Papa.

Os anos vitoriosos

A popularidade de Napoleão era tão grande que, mediante plebiscito, passou a ser Cônsul Vitalício, a partir de 1802. Em 1804, outro referendo aclamou-o Imperador dos franceses. Bonaparte convertia-se, assim, em Napoleão I. A ordem interna em França permitiu consolidar as mudanças administrativas e elaborar novos códigos, que fariam com que a obra revolucionária chegasse ao fim. A partir daí, dedicou-se ao exterior, com a desculpa de exportar as mudanças para toda a Europa. Em 1810, Napoleão obteve o domínio absoluto do continente e, durante os seus anos áureos, além de Imperador francês, foi rei de Itália e protetor da Confederação do Reno.

O poderoso Império francês era constituído pela Bélgica e por toda a margem esquerda do Reno. Alcançava, assim, os limites imaginários da antiga Gália. Mas, este domínio alargava-se como um segundo anel territorial de Estados vassalos, formando assim o Grande Império constituído pela Suíça, Províncias Ilírias, Polónia, quase toda a Alemanha, Espanha, Portugal, Nápoles e pelo norte de Itália.

O fim do Império

Napoleão fracassou na sua tentativa de estabelecer um sistema de bloqueio continental, com o objetivo de debilitar o comércio e o poderio naval britânico. A política de dependência colonial, imposta pelo Império Napoleónico aos seus vassalos, despertou um movimento de resistência, especialmente na Alemanha. Em 1812, o fracasso da invasão da Rússia obrigou Napoleão a organizar um novo exército, que acabou por ser derrotado em Leipzig, em Outubro de 1813. Meio ano mais tarde, as tropas da Quádrupla Aliança, constituída pela Rússia, Prússia, Áustria e Inglaterra, ocuparam Paris e restauraram a dinastia dos Bourbons com Luís XVIII.

As forças aliadas prenderam o Imperador francês na pequena ilha de Elba, em frente à Itália, o qual conseguiu escapar para depois desembarcar em França, em Março de 1815, e proclamar novamente o Império. A 18 de Junho de 1815 Napoleão foi derrotado em Waterloo, na Bélgica. Dessa vez, foi exilado no sul do Atlântico, em Santa Helena. Para a França, as condições económicas do castigo foram endurecidas. A assinatura do Tratado de Viena impôs, durante décadas, o triunfo do conservadorismo na Europa.